Emparn promove seminário sobre o cultivo do algodão irrigado, em Apodi


A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), em parceria com Embrapa Algodão e o Intecot&nbsppromovem nos dias 13 e 14 de janeiro (quarta e quinta-feira), o "1º Seminário sobre a Cultura do Algodoeiro Irrigado na Chapada do Apodi". Cerca de 200 produtores de algodão da região participarão, do evento que começa na quarta à noite na Casa da cutura de Apodi, onde vai ser realizado o seminário com palestras de especialistas em algodão, que vão falar sobre as perspectivas do algodão no Rio Grande do Norte e os resultados de pesquisas do projeto de geração e transferência de tecnologias para a sustentabilidade do algodoeiro no semiárido nordestino. Temas como pragas mais comuns na cultura do algodão, cadeia produtiva e previsão climática para os próximos meses serão abordados pelos seguintes especialistas: Napoleão Beltrão e Valdiney Sofiatti (Embrapa Algodão), Marcone Mendonça (Emparn), Baskara Canan (Intecot), e &nbspGilmar Bristot (Emparn).
Na quinta-feira (14/01), será realizado na Estação Experimental da Emparn, o Dia de Campo, onde serão apresentadas as novas tecnologias para o cultivo do algodão irrigado na chapada do Apodi, como: Manejo de pragas Manejo e monitoramento de água no algodoeiro e Colheita e pós colheita. E para orientar, na prática, os produtores de algodão participam do Dia de Campo, os seguintes especialistas: Valdiney Sofiatti, Felipe Macêdo Guimarães e Carlos Domingues da Silva (Embrapa Algodão), Bergson Guedes (UFCG) e Marcone Mendonça (Emparn).

É &nbspna Estação Experimental da Emparn, em Apodi, que&nbspestá instalada desde&nbspagosto de 2009, a mini usina de beneficiamento de algodão, para atender gratuitamente pequenos produtores da região, onde já foram baneficiados 5 toneladas de algodão em caroço, sendo 2 toneladas de algodão colorido e 3 de plantios com cultivos orgânicos, e para 2010 estão previstos o beneficiamento de 9t de algodão. Segundo o coordenador do evento o pesquisador da Emparn / Embrapa, aldo Arnaldo de Medeiros, todo esse trabalho de capacitação, incentivo à produção e beneficiamento do algodão, realizado pela Emparn através do Intecot, em parceria com a Embrapa Algodão, tem como objetivo a revitalização da cultura algodoeira no Rio Grande do Norte.

Comentários

Anônimo disse…
Good day, sun shines!
There have were times of troubles when I didn't know about opportunities of getting high yields on investments. I was a dump and downright stupid person.
I have never imagined that there weren't any need in large initial investment.
Now, I feel good, I started take up real income.
It's all about how to select a correct partner who utilizes your money in a right way - that is incorporate it in real deals, parts and divides the profit with me.

You can get interested, if there are such firms? I have to tell the truth, YES, there are. Please be informed of one of them:
http://theinvestblog.com [url=http://theinvestblog.com]Online Investment Blog[/url]
Anônimo disse…
Um pena vermos a nossa cidade Ouro Branco com o nome tão forte puxado pelo algodão e termos que engolir investimentos desse tipo no em outras regiões do estado. Precisaríamos de uma politica agrícola voltada para o crescimento econômico com base principalmente no campo com a introdução da agricultura familiar na Cotonicultura, aí sim teríamos um municipio forte e crescente sem dependermos de esmolas de governo.

Postagens mais visitadas deste blog

Ouro Branco está de luto: Morre aos 36 anos o ourobranquense Adílio Santos

Ouro Branco: Crianças de 6 e 7 anos estão desaparecidas

Ourobranquense passa em medicina em duas faculdades