Fenômeno La Niña pode provocar seca no Sul do país e chuvas no Nordeste

É provável que o fenômeno La Niña seja verificado durante o verão do Hemisfério Norte, continuando no outono, afirmou a Agência Meteorológica do Japão. Com os efeitos do El Niño se dissipando, as temperaturas abaixo da superfície no Oceano Pacífico caíram e a expectativa do departamento é que o resfriamento também atinja a porção oeste do Pacífico nos próximos meses.

"A tendência de temperaturas mais frias que o normal deverá ser verificada na parte central e oeste do Pacífico Equatorial", aponta agência japonesa.

O La Niña influencia na agricultura. Tradicionalmente provoca condições mais secas em regiões dos Estados Unidos e da América do Sul, enquanto a região Ásia-Pacífico e América Central sofrem de chuvas acima do comum. O fenômeno também aumenta as chances de ciclones tropicais no Pacífico.

No Brasil, pode levar um volume maior de chuvas ao Nordeste, temperaturas abaixo do normal para o verão na região Sudeste e seca na região Sul do país.
Fonte: Revista Globo Rural

Comentários