Mantega é preso em nova fase da Operação Lava Jato

O ex-ministro Guido Mantega chega à sede da PF em SP (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo)

O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega foi preso na manhã desta quinta-feira (22) em São Paulo na 34ª fase da Operação Lava Jato. O mandado é de prisão temporária. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o empresário Eike Batista disse em depoimento ter pago US$ 2,35 milhões ao PT a pedido do ex-ministro. À época, a quantia era equivalente a cerca de R$ 4,7 milhões.

O advogado de Mantega, José Roberto Batochio, afirmou que o ex-ministro foi preso no  hospital Albert Einstein, no Morumbi, Zona Sul de São Paulo, onde estava com a mulher, que tinha uma cirurgia agendada. "Ele está sendo retirado da área de cirurgia por policiais nesse momento", disse Batochio ao G1 às 7h50.

A PF afirma que foi até as proximidades do hospital e fez contato telefônico com Mantega, e que ele  se apresentou espontaneamente na portaria do edifício. "Não houve entrada de policiais no hospital, ainda mais no centro cirúrgico para retirar o (ex-)ministro", disse o delegado Igor Romário de Paula, coordenador da Lava Jato na polícia.

Do hospital, os policiais levaram o ex-ministro até seu apartamento em Pinheiros, na Zona Oeste, para cumprir um mandado de busca e apreensão. Por volta das 9h25, Mantega chegou à sede da PF em São Paulo, na Lapa, Zona Oeste d acpaital. Às 10h, o advogado Batochio chegou à sede da PF e disse à imprensa que vai conversar com o ministro para depois se posicionar novamente. Mantega deve ser levado para Curitiba em um avião da PF.

Os policiais já haviam estado mais cedo na casa do ex-ministro, mas só encontraram o filho de 16 anos dele e uma empregada doméstica, segundo a PF. O advogado de Mantega não soube dizer se foram apreendidos objetos. A PF diz que "o procedimento foi realizado de forma discreta" e "com integral colaboração do investigado".

G1

Comentários