Deputado evangélico quer erradicar o vício em masturbação

 Deputado Marcelo Aguiar (PSC-SP)

Defensor dos valores da “família tradicional brasileira”, o deputado federal Marcelo Aguiar (DEM-SP) quer combater o vício em masturbação. Para isso, luta para aprovar na Câmara um projeto de sua autoria que obriga operadoras de internet a bloquear “automaticamente” o acesso a pornografia gratuita por parte de crianças e adolescentes. Conforme escreveu na justificativa do PL 6.449/2016, a medida pretende evitar que os jovens se tornem “autossexuais, pessoas para quem o prazer com sexo solitário é maior do que o proporcionado pelo método, digamos, tradicional”.

O projeto foi apresentado em 9 de novembro de 2016, mesmo dia em que Donald Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos, e passou despercebido pela imprensa, que decidiu repercuti-lo nesta quarta-feira. O deputado, de 43 anos, que fez carreira como ator e cantor sertanejo em novela da TV Record e depois como artista gospel da Igreja Renascer em Cristo, é bastante engajado em assuntos caros à bancada evangélica e ligados à cibersegurança. Em seu site, instrui pais a processarem escolas e professores que ensinam ideologia de gênero nas aulas e defende a isenção de IPTU para as igrejas. Membro titular da comissão de Ciência e Tecnologia, ele representou a Câmara em viagem a Israel na Conferência Internacional de Segurança Nacional e Cibersegurança, em novembro de 2016.

Em entrevista ao site de VEJA, Marcelo Aguiar comparou o vício em pornografia à dependência de drogas e fez questão de dizer que não é contra a masturbação — “algo natural do corpo de cada um” —, mas que o vício nela é um problema de saúde pública. Confira a entrevista.

Comentários