Investigação acusa 7% dos padres australianos de pedofilia

17stbd1qkb_8gyo9mv7va_file

Cerca de 7% dos sacerdotes católicos na Austrália já foram acusados de cometerem pedofilia desde 1950, de acordo com a maior investigação sobre crimes sexuais contra menores de idade feita no país.

O relatório, divulgado nesta segunda-feira (6) por uma comissão federal de investigação que demorou quatro anos para concluir o trabalho, aponta que 4.444 pessoas denunciaram abusos sexuais cometidos por religiosos entre os anos de 1980 e 2015 na Austrália.

Comentários