Michel Temer cria ministério para Moreira Franco; Sergio Moro e STF silenciam

 Michel Temer Moreira Franco

O presidente Michel Temer promoveu um dos homens-fortes de seu Governo nesta quinta-feira: Wellington Moreira Franco, atual secretário-executivo do Programa de Parceria de Investimentos, será o novo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, que volta a ter status de ministério com área de influência ampliada.

Com o novo cargo, Moreira Franco, citado dezenas de vezes em ao menos uma das agora oficiais delações dos executivos da empreiteira Odebrecht na Operação Lava Jato, passa a ter foro privilegiado: só pode ser eventualmente julgado pelo Supremo Tribunal Federal e sai da mira de Sergio Moro.

Nesta sexta-feira (3), os deputados federais Paulo Pimenta (PT-RS), Wadih Damous (PT-RJ) e Chico D’Angelo (PT-RJ) protocolam no Supremo Tribunal Federal (STF) uma ação contra a nomeação de Moreira Franco para a Secretaria-Geral da Presidência, com foro privilegiado.

Os parlamentares relembraram o que aconteceu em 18 de março de 2016. Naquele dia, Gilmar Mendes decidiu que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não poderia ser nomeado ministro da Casa Civil do governo da então presidente Dilma Rousseff.

De acordo com Gilmar Mendes, aquilo significava uma tentativa de obstruir a Justiça nas investigações da primeira instância da Operação Lava Jato, conduzida por Sergio Moro.

A nomeação de Lula foi ainda precedida por áudios do ex-presidente vazados ilegalmente por Sergio Moro à Globo. A emissora dedicou mais de 20 minutos do Jornal Nacional para exibir trechos das gravações.

Leia mais...

Comentários