Temer é absorvido no TSE após voto de Gilmar Mendes

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

 
 
Após dois anos e meio remoendo o processo contra a chapa Dilma/Temer, através de iniciativas do próprio Gilmar Mendes, presidente do tribunal, produzindo enorme instabilidade política no país, o TSE decide, por quatro a três, arquivar o caso.

Foi tudo uma palhaçada. Uma brincadeirinha de mal gosto, conforme disse Aécio, para “encher o saco do PT”.

Agora não interessa mais, ao golpe, levar adiante a cassação. O plano B não precisa ser levado adiante, já que o plano A deu certo.

Não há vencedores na decisão do TSE. O processo não deveria ter existido, porque é absurdo que a atuação do TSE se preste ao jogo político-partidário.

Se não há vencedores, há um perdedor: a democracia e o Brasil. Michel Temer, o traidor, o usurpador, o golpista, permanece à frente da presidência, liderando o mais acelerado processo de destruição de um país já visto na história recente de qualquer país que não esteja em guerra.

A vergonha é ainda maior porque Gilmar Mendes, ao longo de todo o processo, não teve nenhum escrúpulo de parecer isento: frequentou inúmeras vezes as residências oficiais de Michel Temer, pegou carona em aviãozinho com Temer. E isso depois de ter feito o mesmo com os artífices do golpe, nas semanas e meses que antecederam o impeachment.

O cafezinho

Comentários