Segundo pesquisador, Ouro Branco teria sido fundado em 1722 pelo português Serafim de Souza Marques

Fabrício Lucena é pesquisador e autor do livro
“Ouro Branco: de 1722 a 1954”

No último dia 16 de julho de 2017 foi comemorado os 112 anos de fundação do município de Ouro Branco, mas talvez a história do município não tenha sido passada para população como realmente aconteceu.

Segundo a história mal contada, Ouro Branco foi fundada em 16 de julho de 1905 por Cirilo de Souza, conhecido por "Velho do Poção" e Manoel Correia do Cobiçado. Seu reconhecimento formal, a instalação do Povoado do Espírito Santo,  antigo nome de Ouro Branco, deu-se com a inauguração da primeira feira organizada por seus dois fundadores.

Desde a década de 80 que antigos moradores de Ouro Branco questionavam a história contada oralmente de geração em geração. Para eles a verdadeira história da fundação de Ouro Branco tem data e fundador diferentes.

Segundo o pesquisador Fabrício Lucena, " o português Serafim de Souza Marques (1°) foi o fundador de Ouro Branco e seu descendentes Cirilo, Gonçalves, Bernardino, Trajano, Clementino, Porfirio e Olegário, com a instalação da Data do Espírito Santo em dez de junho de 1722. Data essa que deu origem a fazenda Espírito Santo (nas terras que coube a Serafim), ao oratório do Espírito Santo, depois Casa da Oração, ao povoado do Espírito Santo e a capela do Divino Espírito Santo". 

O pesquisador lançou um livro em 2015 intitulado “Ouro Branco: de 1722 a 1954”. O livro conta a verdadeira história do município após pesquisa detalhada e com documentos probatórios de que Ouro Branco teria 295 anos e que o fundador seria o português Serafim de Souza Marques. 

Fabrício nos repassou um documento histórico que comprova que em 10 maio de 1905, trinta e três moradores fizeram um abaixo-assinado requerendo a instalação da primeira feira livre do município.

Veja trecho do livro:

'Ilustres cidadães, Presidente e mais membros da Intendencia Municipal. Concedida a licença solicitada para ser inaugurada uma feira no sitio Espirito Santo, sem prejuiso dos arremdantis dos respectivos impostos, assignados na Lei orçamentária em vigor, exceptuando o imposto de 100 reis para cada carga exposta à venda que fica dispe. Os abaixo assignados, proprietários, moradores no districto do Espirito Santo tendo em vista a ficonda distancia que os separa dos lugares circunvizinhos, calculada em 5 leguas para esta cidade, 5 para a vila de Santa Luzia, 8 para a cidade de caicó, 4 para para S. João Do Sabugy e 8 para a povoação de Parelhas e visando mais, o progresso do município, vem solicitar de vós, como autoridade competente, a licença necessária para instalação d`uma feira no mencionado districto, cuja população já bastante crescida, luta com serias difficuldades para a freqüência imprescindível das feiras nos supracitados lugares. 

P. deferimento. 
Cidade do governo 10 de Maio de 1905

Pessoas que lutaram pela realização da primeira feira livre de Ouro Branco:
Manoel Marciano da Silva
 Saturnino Fonseca 
Quintino Tertulino da Fonseca 
Cirillo Alves de Azevedo
Mizael Leite de Albuquerque
Manoel Antonio do Nascimento
João Antonio do Nascimento
 Antonio José do Nascimento
 Antonio José de Maria 
José Alves Gameiro 
Anizio Augusto da Silva 
Flavio Lafaete Abuquerque Silva 
Hygino Gomes de Oliveira 
José Alves Gameiro Filho 
José dos Santos de Oliveira 
Manoel Victalino de Souza 
Cirillo de Souza Silva 
Manoel Cirillo da Silva 
Manoel Adolpho de Medeiros 
Porfirio de Souza e Silva 
José Aprigio Fonseca 
Valentim Firmo Lopes 
Pedro Gonçalves de Souza 
Manoel Gonçalves de Annunciação 
Francisco Hercolano Baptista 
Camillo Marcellino de Souza 
Manoel Pedro de Figueredo 
Francisco Pedro Figueredo 
Francisco Dias de Araújo 
Manoel Teodoro da Silva 
Joaquim Melquíades Alves Chianca
 José Barbosa Teixeira 
Delmiro Monteiro da Silva.

 


Por fim, é preciso oficializarmos por lei a história real, pesquisada e comprovada através de documentos para que os nossos filhos possam conhecer a verdadeira história de seus antepassados. Devemos homenagear as pessoas que verdadeiramente fizeram por nossa terra como foi o caso do Português Serafim de Souza Marques e os 33 moradores que assinaram o abaixo-assinado para a realização da primeira feira livre de Ouro Branco.

"Um povo sem o conhecimento da sua história, origem e cultura é uma árvore sem raízes" Por Marcus Garvey

Comentários