Após comprar deputados e cortar Bolsa Família, Temer congelará salários

 Beto Barata/PR

No "ajuste fiscal" relativo do governo, Michel Temer pretende economizar R$ 9,8 bilhões ao congelar salários de servidores em 2018; serão atingidos, com a medida, professores, militares, policiais, auditores da Receita Federal, peritos do INSS, diplomatas e oficiais de chancelaria e carreiras jurídicas; outras categorias poderão ser incluídas; nesta semana, a equipe econômica anunciou a revisão da meta fiscal, de um rombo de R$ 139 bilhões, para R$ 159 bilhões, correndo o risco de aumentar; no "ajuste" de Temer para equilibrar as contas, ele gasta bilhões comprando o apoio de deputados para se salvar no Congresso, de um lado, e de outro corta recursos do Bolsa Família e aumenta impostos.

Comentários